sexta-feira, 5 de março de 2010

micoses em gatos e seus donos

Micoses são doenças causadas por fungos – que podem viver no solo, na pelagem dos animais ou nas plantas – que vão se instalar geralmente na pele, causando lesões conhecidas como “tinhas”.

São divididas em dois grupos: as superficiais e as profundas.

Dentre as superficiais, a mais comum é a causada pelo fungo chamado Microsporum (que também acomete os cães), transmitida pelo contato direto ou pelo fato de o animal compartilhar objetos com outro animal já contaminado. É transmissível ao homem, portanto uma zoonose (veja figura ao lado).

As micoses superficiais em gatos nem sempre apresentam sintomas, apesar do animal estar contaminado; nem mesmo coceira, como pensamos (diferente de nós). Elas normalmente se manifestam em condições especiais, como baixa de resistência do organismo, o que faz com que filhotes sejam mais suscetíveis. Dessa forma, em uma mesma casa com vários animais, um deles pode apresentar a doença em vários locais do corpo e outro não.

O hábito do felino se lamber para se limpar é uma forma de retirar os esporos dos pêlos (esporos são a forma infectante do fungo). Gatos de pelagem longa são mais acometidos do que os de pelagem curta, porque não conseguem se higienizar com eficiência e também por receberem menos sol na pele (o que inativa esses esporos).

Gatos alérgicos, por exemplo, também são mais propensos às micoses, uma vez que os fungos são oportunistas na baixa imunidade.

Com relação às micoses profundas, as mais conhecidas e polêmicas são a criptococose e a esporotricose, também transmissíveis ao ser humano e com sintomas sistêmicos – e mais graves – além da manifestação cutânea.

As micoses superficiais são um problema muito comum em gatis ou casas com muitos gatos confinados, devido à aglomeração e à imunossupressão que a superpopulação causa – os gatos são territorialistas por natureza e não aceitam conviver com muitos animais em um mesmo espaço; muitas vezes isso faz com que a imunidade baixe. Assim sendo, ao adquirir animais com esse histórico, providencie um exame dermatológico logo que chegam em uma nova casa, principalmente se na casa já existirem outros animais e/ou crianças. Já existem vacinas no mercado que previnem a infecção pelo fungo, e alguns criadores já usam.

O tratamento é longo (cerca de 60 dias, em média) e só é recomendado após exame laboratorial de cultura fúngica confirmado, uma vez que a maioria das drogas indicadas tem toxicidade quando usadas a longo prazo e sem controle. Medicações de uso tópico não são de grande valia, uma vez que a doença não é isolada em um ponto do corpo, os esporos estão disseminados em toda sua extensão.

Devemos lembrar também que uma consulta médica é indicada caso apareça qualquer sinal de lesão no proprietário que convive com animais (cães e gatos), seja em que lugar do corpo for.

As informações e sugestões de saúde e bem-estar para o seu bichinho contidas neste blog têm caráter meramente informativo e não substituem o aconselhamento e o acompanhamento do Médico Veterinário de sua confiança. Somente este profissional é capacitado para diagnosticar e medicar seu bichinho de estimação.

5 comentários:

Anonymous disse...

Dra. Andrea, oi. Tive um gato siamês que de tempos em tempos sofria de "queda de pelos" no final das costas. Fui em vários veterinários, um deles recomendou um líquido, outro recomendou remédio e outro disse que isso era característico do gato siamês. Não sei se isso é verdade, mas hoje tenho outro gato siamês e ele tem o mesmo problema, que vai e volta, do mesmo jeito que aparece a queda ela desaparece e os pelos ficam normais. O que poderia ser? Você pode ajudar? Obrigada, Celia.

Dra. Andréa disse...

Celia, na verdade, as dermatites não têm raças específicas e nem são comuns à determinados animais... Se você percebe que as lesões são sazonais e acompanhadas de coceira, bem provável que sejam de fundo alérgico e uma das causas mais comuns de alergia são as picadas de pulgas. Se seu animal tem acesso à rua, mais um motivo para usar anti-pulgas mensalmente, além da prevenção. Outra causa comum é hormonal, principalmente se seus gatos não são castrados. O ideal seria passá-los em consulta com um veterinário dermatologista e, se necessário, ele pedirá alguns exames complementares para melhor diagnóstico. Abraços, Dra. Andréa.

Maila disse...

Olá, meu gato apareceu com uma rodinha sem pelo em cima do pescoço, uns dias depois ficou avermelhada e começou a correr uma aguinha... isso poderia ser uma micose ou o que? Existe algum remedio que eu possa usar? Estou limpando com agua oxigenada e passando uma pomada a base de clotrimazol.

catia costa disse...

Oi
Tenho 4 gatos e percebi que todos eles estão com manchas dentro da orelha e no rosto, são mancha amarronzadas como se fosse as mancha sinais, eles não tem coceiras e as manchas quando passo a mão não são sentidas, O que pode ser?

Cibele Portes disse...

Dra andreia meus gatos estao com lesoes nas orelhas queda de pelos tufos de pelo ja levei em varios vt eles falam q e micose e passam itraconasol mas nao sarou nao sei mais oque fasso estou desesperada me ajude a e eu estou com umas bolinhas de agua q parece picadas de pernilongos e coca muito por favor me ajude